ABORDAGEM BIOPSICOSSOCIAL DE UM CASO DE DISFUNÇÃO SEXUAL MASCULINA

  • Arnaldo Barbieri Filho Instituto de Estudos da Sexualidade, Ribeirão Preto, SP, Brasil
Palavras-chave: Disfunções sexuais, Homem, Terapêutica

Resumo

Diagnósticos biopsicossociais, incluindo mecanismos de medicações, são importantes para o tratamento das disfunções sexuais. Um homem de 23 anos referia ser muito tímido e exigente consigo mesmo. Às masturbações fazia estimulação anal e apresentava ejaculação precoce (EP). Só tentou ter a sua primeira relação sexual há nove meses, quando teve disfunção erétil (DE). Desde então teve poucas tentativas, sempre com DE e EP. Estava com varicocele e espermograma alterado. Tem pai idoso e com dificuldades para deambular. Os diagnósticos foram DE, EP, fobia social, fortes traços obsessivos de personalidade, reação depressiva e excitação por estimulação anal pela qual tinha sentimento de culpa. O tratamento incluiu psicoterapia, Sertralina 25 mg, Diazepam e Sildenafila se necessário, além de exercícios sexuais e avaliação urológica. Foi sugerida cirurgia para a varicocele, mas esta não justificava as disfunções sexuais. Relutou em iniciar o tratamento e manteve a DE e a EP. Quando usou Sildenafila, não teve DE mas apresentou EP. Quando iniciou a Sertralina conseguiu o retardo ejaculatório. A Sertralina trata a fobia social e retarda a ejaculação pelo efeito da serotonina, melhorando a EP. Foi usada em dose bem baixa, mesmo porque inibe a libido. O Diazepam também causa disfunções sexuais, por isso foi evitado. Assim, com essas medicações associadas à psicoterapia passou a ter relações normalmente. Pouco tempo depois, suspendeu as drogas sem prejuízo da função sexual. Continuou a psicoterapia na qual foram trabalhados os seguintes aspectos: o sentimento de culpa em relação às fantasias de estimulação anal; a baixa autoestima; o medo de ser criticado; as fantasias em relação à varicocele e à perda de mobilidade dos espermatozoides; a auto cobrança excessiva e o fraco pai interno. Com a melhora da autoestima e da autoconfiança, passou a ter uma vida sexual saudável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arnaldo Barbieri Filho, Instituto de Estudos da Sexualidade, Ribeirão Preto, SP, Brasil

Instituto de Estudos da Sexualidade, Ribeirão Preto, SP, Brasil

Publicado
2020-02-18
Como Citar
Barbieri Filho, A. (2020). ABORDAGEM BIOPSICOSSOCIAL DE UM CASO DE DISFUNÇÃO SEXUAL MASCULINA. Revista Brasileira De Sexualidade Humana, 30(1). https://doi.org/10.35919/rbsh.v30i1.100
Seção
Caso Clínico