O CONTROLE DA SEXUALIDADE FEMININA E O CASAMENTO NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA

Autores

  • Alice Taylor
  • Vanessa Fonseca

DOI:

https://doi.org/10.35919/rbsh.v26i2.133

Palavras-chave:

sexualidade, casamento na infância e adolescência, gênero, direitos sexuais e reprodutivos

Resumo

Com base na literatura sobre o tema e em uma pesquisa realizada pelo Instituto Promundo3 em dois estados brasileiros, este artigo busca discutir a relação entre a vivência da sexualidade das meninas e o casamento na infância e adolescência. A pesquisa mostrou que o controle da sexualidade das meninas é influenciado por vários fatores: desde a sociedade (por exemplo: percepções de moradores das mesmas comunidades dos casais entrevistados, e relatos sobre a influência da mídia e a religião), pares, parentes e maridos. O casamento surgiu no discurso dos entrevistados como “solução” para evitar o que esses atores consideram “riscos” nas vidas das meninas, associados à uma vida sexual mais livre. A decisão pelo casamento, assim, está muitas vezes baseada no controle da sexualidade. Tem implicações diretas nos direitos sexuais e reprodutivos das meninas, e promovem as relações desiguais de gênero.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-03-23

Como Citar

Taylor, A. ., & Fonseca, V. . (2020). O CONTROLE DA SEXUALIDADE FEMININA E O CASAMENTO NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA. Revista Brasileira De Sexualidade Humana, 26(2). https://doi.org/10.35919/rbsh.v26i2.133

Edição

Seção

Artigos