EDUCAÇÃO SEXUAL E FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA

Autores

  • Yalin Brizola Yared
  • Geraldo Augusto Locks

DOI:

https://doi.org/10.35919/rbsh.v22i2.229

Palavras-chave:

Professores de Ciências e Biologia, Educação Sexual Emancipatória, Currículo

Resumo

Este trabalho é recorte da dissertação desenvolvida no Programa de Pós-Graduação Strictu Sensu em Educação: “A educação sexual na escola: tensões e prazeres na prática pedagógica de professores de Ciências e Biologia”. Por meio de entrevistas semiestruturas audiogravadas, os dados foram obtidos com seis professoras de Ciências e Biologia de cinco escolas estaduais. Os depoimentos foram analisados qualitativamente – análise de conteúdo – e estabelecidas categorias a posteriori. Os resultados sugerem que a sexualidade ainda é apoiada nas concepções médico-higienista e moral religiosa dogmatizada; uma parcela significativa dos cursos de licenciaturas se circunscreve em paradigmas pedagógicos tecnicistas. Recomenda-se urgente avaliação dos currículos onde se inscreva uma visão antropológica do ser humano multidimensional, onde a sexualidade não poderá ser omitida/dicotomizada; além da necessidade de se implementar a educação continuada que possibilite o trabalho de uma educação sexual emancipatória onde os sujeitos possam ter a vivência de uma sexualidade mais autônoma e feliz.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-04-07

Como Citar

Brizola Yared, Y. ., & Augusto Locks, G. . (2020). EDUCAÇÃO SEXUAL E FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA. Revista Brasileira De Sexualidade Humana, 22(2). https://doi.org/10.35919/rbsh.v22i2.229

Edição

Seção

TEMAS LIVRES: EDUCAÇÃO SEXUAL