DESEJO SEXUAL HIPOATIVO. CLÍNICA E EXAMES

Autores

  • Jorge José Serapião

DOI:

https://doi.org/10.35919/rbsh.v16i1.479

Palavras-chave:

Desejo sexual hipoativo, Clínica, Exames complementares

Resumo

O autor conceitua os termos Desejo Sexual Hipoativo, Diminuição do Desejo Sexual, Síndrome Hipoandrogênica Feminina e Hipogonadismo Masculino Tardio. Chama a atenção para a freqüência e a sintomatologia desse quadro. Analisa a validade do exame físico. Faz considerações gerais sobre a ação dos androgênios na resposta sexual humana. Em relação às mulheres comenta sobre as dificuldades técnicas da dosagem dos androgênios e seu emprego na prática clínica. Conclui que a função sexual é muito complexa e não simplesmente uma decorrência de níveis hormonais. Em relação à mulher reconhece que a mensuração dos níveis de testosterona continua sendo um desafio à prática clínica. Isto se deve à baixa sensibilidade dos atuais ensaios comerciais disponíveis. E, finalmente, afirma que o diagnóstico de Desejo Sexual Hipoativo, quando relacionada a um hipoandrogenismo, é ainda muito baseado na sintomatologia clínica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jorge José Serapião

Médico e Psicólogo. Professor da Faculdade de Medicina da UFRJ e da UGF. 

Downloads

Publicado

2020-10-03

Como Citar

José Serapião, J. . (2020). DESEJO SEXUAL HIPOATIVO. CLÍNICA E EXAMES . Revista Brasileira De Sexualidade Humana, 16(1). https://doi.org/10.35919/rbsh.v16i1.479

Edição

Seção

TEMA: DISFUNÇÃO SEXUAL