ESTUDO COMPARATIVO DA QUALIDADE DE VIDA SEXUAL EM INDIVÍDUOS COM LESÃO MEDULAR: PARATLETAS E NÃO PARATLETAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35919/rbsh.v32i1.962

Palavras-chave:

Lesão medular, Qualidade de vida, Sexualidade, Atletas, Não atletas

Resumo

A lesão medular (LM) é responsável por ocasionar danos neurológicos que interferem na autonomia de um indivíduo, ela caracteriza-se por alterações motoras, sensitivas e do sistema nervoso autônomo que podem variar de acordo com localização da lesão. Dentre as consequências dessas alterações da LM estão as disfunções sexuais. Dispor de uma vida sexual ativa e saudável contribui para uma melhor qualidade de vida de um indivíduo. A função sexual é reconhecida pela OMS como um sinal de saúde, sendo assim, as disfunções sexuais são consideradas um problema de saúde pública. A prática esportiva é um recurso importante para a melhora a funcionalidade, autoestima, auto-aceitação, prevenir o desenvolvimento de limitações funcionais secundárias, além da melhora da qualidade de vida sexual. O objetivo deste estudo é comparar a qualidade de vida sexual de paratletas e não paratletas. O tipo de pesquisa é descritivo, utilizando métodos quantitativos, na mensuração das frequências absolutas e relativas. Os dados foram colhidos através de um questionário de sexualidade humana para indivíduos com lesão medular (QSH-LM modificado). Nos resultados adotou-se para realização do teste um nível de significância de p-valor < 0.05; 92,3% eram muito satisfeito antes da LM (p=0,3352). Depois da lesão, a satisfação sexual, que está ligado a qualidade de vida sexual, 43% dos não paratletas relataram moderadamente satisfeito (p=0,041) enquanto que 50% dos atletas com LM assinalaram o mesmo quesito (p=0,041). Somente 7,7% relatou muito satisfeito depois da lesão medular (p=0,6286).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lissa Oliveira Abreu, Universidade da Amazônia

Graduada em Fisioterapia pelo Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da Universidade da Amazônia, Belém, Brasil.

Geovanna Romana Matos Amaral Ferreira, Universidade da Amazônia

Graduada em Fisioterapia pelo Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da Universidade da Amazônia, Belém, Brasil.

Wendel de Lima Albuquerque, Universidade da Amazônia

Graduado em Fisioterapia pelo Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da Universidade da Amazônia, Belém, Brasil.

Iranete Corpes Oliveira França, Universidade da Amazônia

Graduada em Fisioterapia pela Universidade do Estado do Pará e mestre em Desenvolvimento e Meio Urbano pela Universidade da Amazônia. Docente do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da Universidade da Amazônia, Belém, Brasil.

Susanne Cristine Brito e Silva, Universidade da Amazônia

Graduada em Fisioterapia pela Universidade do Estado do Pará e mestre em Teoria da Pesquisa do Comportamento pela Universidade Federal do Pará. Docente do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da Universidade da Amazônia, Belém, Brasil.

Caren Helouise da Costa Priante, Pesquisadora Autonôma

Graduada em Fisioterapia pela Universidade da Amazônia, mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de são Paulo. Pesquisadora Autonôma.

Claudia Jeane Claudino de Pontes Miranda, Universidade da Amazônia

Graduada em Fisioterapia pela Universidade Federal da Paraíba, mestre e doutora em Ciências Médicas pela Universidade de São Paulo. Docente do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade da Amazônia, Belém, Brasil.

Downloads

Publicado

2021-06-25

Como Citar

Oliveira Abreu, L., Romana Matos Amaral Ferreira, G. ., de Lima Albuquerque, W., Corpes Oliveira França, I. ., Cristine Brito e Silva, S., Helouise da Costa Priante, C., & Jeane Claudino de Pontes Miranda, C. (2021). ESTUDO COMPARATIVO DA QUALIDADE DE VIDA SEXUAL EM INDIVÍDUOS COM LESÃO MEDULAR: PARATLETAS E NÃO PARATLETAS . Revista Brasileira De Sexualidade Humana, 32(1). https://doi.org/10.35919/rbsh.v32i1.962

Edição

Seção

Trabalhos de Pesquisa