A SEXUALIDADE NO ENVELHE(SER)

Autores

  • Maria do Amparo Rocha Caridade

DOI:

https://doi.org/10.35919/rbsh.v21i1.265

Palavras-chave:

Sexualidade, Finitude, Envelhecimento

Resumo

O homem é o único ser vivo que sabe que vai morrer. Isso o angustia, e ele busca para si ilusões de eternidade, como se pudesse esconder-se de sua provisoriedade. A finitude é vista por ele como uma limitação, não como o limite que é posto à vida. Olhar assim, o impede do verdadeiro crescimento rumo à maturidade e a alegria de viver. Finitude é condição humana, e nela somos desafiados a encontrar saídas para os limites, a encontrar motivação para manter a vida com dignidade, satisfação, prazer e sentido. Falar de envelhecimento é falar da consciência dessa finitude, da possibilidade de ser por ela desafiados, e da capacidade que temos de proceder à superação, à transformação, à metanóia, à mudança de atitudes. A vida é exigente de um ascender ao mais além. Nesse contexto a sexualidade nos convoca para a construção de um sujeito prazeroso e feliz.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-04-16

Como Citar

do Amparo Rocha Caridade, M. . (2020). A SEXUALIDADE NO ENVELHE(SER) . Revista Brasileira De Sexualidade Humana, 21(1). https://doi.org/10.35919/rbsh.v21i1.265

Edição

Seção

REVISTA BRASILEIRA DE SEXUALIDADE HUMANA

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>