SEXO, MULHER E PUNIÇÃO – A SEXUALIDADE FEMININA NUMA INSTITUIÇÃO PENAL

Autores

  • Maria do Amparo Rocha Caridade

DOI:

https://doi.org/10.35919/rbsh.v21i1.269

Palavras-chave:

Sexualidade feminina, Punição, Instituição penal

Resumo

A vida sexual em prisões não tem constituído uma preocupação social. A abstenção do sexo nesses contextos parece entendida como fato natural, integrando a pena que o indivíduo cumpre. O fato é mais claramente observado quando se trata de prisões femininas. Na Colônia Penal Feminina do Bom Pastor (CPF), em Recife, mulheres presas vivem nos dias atuais sem perspectivas de relacionamento sexual com seus parceiros. A Instituição é dirigida por freiras e a repressão sexual é intensa. Apesar de rigoroso controle das expressões da sexualidade, as mulheres encontram formas alternativas de vivê-la, sobretudo através da masturbação e da homossexualidade. Por essas práticas “transgressoras” e “desviantes” da sexualidade, as detentas afirmam-se e se restabelecem como sujeitos. As manifestações sexuais na CPF são uma forma de contrapoder desafiador das normas institucionais do desprazer.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-04-16

Como Citar

do Amparo Rocha Caridade, M. . (2020). SEXO, MULHER E PUNIÇÃO – A SEXUALIDADE FEMININA NUMA INSTITUIÇÃO PENAL . Revista Brasileira De Sexualidade Humana, 21(1). https://doi.org/10.35919/rbsh.v21i1.269

Edição

Seção

REVISTA BRASILEIRA DE SEXUALIDADE HUMANA